Espanhol Português

A primeira plataforma mediática ibérica quer ajudar ao diálogo entre a sociedade civil que pretende uma maior aproximação entre Espanha e Portugal. Para tal, O TRAPÉZIO propõe uma série de reuniões que dêem origem a um evento público (FÓRUM CÍVICO IBÉRICO) na Guarda (Portugal), durante a próxima Cimeira Ibérica entre governos, que provavelmente será realizada neste verão.

A próxima (e terceira) reunião será no dia 27 de Junho (às 12 horas em Espanha e às 11 horas em Portugal) onde os temas de debate serão: 1) Infraestruturas e instituições para a construção do espaço ibérico; e 2) Economia circular e os mecanismos de financiamento da fronteira Ibérica. Também falaremos da reabertura de fronteiras do dia 1 de Julho.

Para se inscrever (gratuitamente), escreva para: [email protected]

Este FÓRUM CIVIL IBÉRICO está dirigido a sociedade civil transfronteiriça e a sociedade civil iberista, assim como a organizações binacionais, ibero-americanas ou relacionadas com a cultura e as línguas ibéricas. Assim mesmo, também estão convocados os leitores do TRAPÉZIO.

Decisões da segunda reunião

O Fórum Cívico Ibérico realizou a sua segunda reunião há duas semanas, onde abordou dois tópicos: 1) Harmonização académica, desportiva, comercial, trabalhista, de tempo e de fronteiras; e 2) Promoção interna e externa das línguas ibéricas (intercompreensão). Durante o debate foi mencionada a importância da educação para promover um sentimento ibérico, a criação de um Centro Ibérico de Cultura Tradicional, a negociação de um catálogo de títulos educacionais comuns de validação automática e, a nível empresarial, a aprovação de produtos.

A fim de promover a compreensão das duas línguas, propõe-se que todos os canais abertos dos dois países sejam vistos em toda a Península e nos territórios das ilhas ibéricas. Também foi alertado sobre possíveis cortes nos gastos com educação que podem acabar afectando o ensino de línguas como o português, onde quer que seja ensinado, como é o caso da Estremadura. O interesse em fortalecer as relações ibéricas foi sublinhado para não depender do futuro da UE. Por outro lado, chama-se a atenção para a importância da organização conjunta de grandes eventos desportivos e até de ligas ou taças ibéricas, para além de actividades desportivas na zona de fronteira. Quando falamos de trabalho, além de simplificar o processo burocrático no momento da contratação, foi sugerido um possível sistema de intercâmbio de trabalhadores qualificados e não qualificados entre os dois países.