Para Espanha, Portugal fez “esforço magnífico” para controlar a pandemia

Fernando Simón, o responsável pelos serviços sanitários de Espanha, elogiou o "trabalho excelente" dos portugueses

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
El director del Centro de Alertas y Emergencias Sanitarias, Fernando Simón, durante una comparecencia para actualizar información sobre la evolución de la pandemia del Covid-19 el día en el que se inicia la fase 0 de la desescalada en la mayor parte del territorio nacional. En Madrid (España), a 4 de mayo de 2020. 04 MAYO 2020 PANDEMIA;CORONAVIRUS;COVID-19;ENFERMEDAD;GOBIERNO;POLÍTICA 4/5/2020

O responsável pelos serviços sanitários de Espanha considerou que a luta contra a covid-19 em Portugal tem tido uma evolução “bastante boa” apesar dos surtos dos últimos dias, que não significam “um risco maior” do que noutros países.

“Neste momento não considero que Portugal possa ter um risco maior do que outros países da União Europeia”, afirmou o diretor dos serviços de Alerta e Emergências Sanitárias do Ministério da Saúde espanhol, Fernando Simón, em resposta a uma pergunta feita durante a videoconferência de imprensa diária sobre a atualização da evolução da pandemia.

O responsável pela luta contra a covid-19 em Espanha considerou que “os portugueses fizeram um trabalho excelente”, com um “esforço magnífico” para controlar a pandemia.

Portugal registou até hoje um total de 1.465 mortes relacionadas com a covid-19, mais 10 do que na quinta-feira, e 33.969 infetados, mais 377, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde, em Lisboa.

Fernando Simón começou por comparar a evolução, em Portugal, “muito boa” e “similar” à das comunidades autónomas espanholas que fazem fronteira com o país.

“É verdade que Portugal nestes últimos dias está a ter um incremento [de casos] em relação ao que era esperado pela evolução da pandemia até à data”, disse o diretor dos serviços sanitários espanhóis, que reconheceu não saber “muito bem” quais as causas para isso acontecer.

Fernando Simón qualificou os “incrementos” nos “últimos dois ou três dias” como sendo “não muito grandes, mas importantes para uma população que é 4,5 mais pequena do que a espanhola”.

O Ministério da Saúde espanhol registou uma morte por covid-19 nas últimas 24 horas e 52 nos últimos sete dias, sendo o total de mortes no país devido à pandemia de 27.134.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário