Espanhol Português

O município de de Tordesilhas celebrou o 526° aniversário da assinatura do Tratado de Tordesilhas com uma visita institucional do museu que abrigou esta assinatura. A actual situação provocada pela Covid-19 impediu a celebração desta efeméride com normalidade. As ruas de Tordesi não poderam ser “inundadas” por Castelhanos e Portugueses numa representação que se tem realizado no Centro de Iniciativas Turísticas das Vilas, desde há 18 anos, segundo informa Tordesillas al Día.

O executivo municipal, encabeçado pelo presidente da câmara de Tordesilhas, visitou as Casas do Tratado e o seu museu para relembrar esta data histórica ao mundo. Junto a eles esteve presente aquele que fora o autarca da celebração do 500° aniversário desta data e o actual sub-delegado do governo, Emilio Álvarez.

O primeiro edil da vila, Miguel Ángel Oliveira, manifestou nesta visita que “este 7 de Junho é um dia muito importante para Tordesilhas, já que celebramos o seu 526 aniversário. Quisemos fazer uma visita institucional para recordar está efeméride para adaptarmo-nos às circunstâncias actuais e como tal fizemos esta humi visita. Com o que decorreu aqui, actualmente existem 600 milhões de falantes de espanhol e 250 milhões o português”.

Já Emilio Álvarez, sub-delegado do governo em Valladolid, apontou que “com este humilde acto prestamos homenagem ao 526° aniversário da assinatura deste tratado. Este tratado é um exemplo para o nosso país e para todo o mundo. Tratou-se do primeiro acordo que se fez de uma maneira preventiva para evitar futuras guerras”, assim encerrou Álvarez a sua exposição.

Desde o CIT, lamentaram a possibilidade de celebrar a sua representação na XVIII edição. “Não a podemos realizar habitualmente ainda assim decidimos que este dia deve ser recordado”.