Español Português

O primeiro-ministro, António Costa, revelou ter dito ontem ao líder dos Trabalhistas britânicos, Jeremy Corbyn, que chegou o momento de colocar o interesse geral acima das conveniências partidárias, apelando à aprovação pelo parlamento britânico do acordo para o `Brexit`.

Em declarações aos jornalistas após os chefes de Estado e de Governo da União Europeia a 27, reunidos em Bruxelas, terem endossado um acordo revisto para a saída do Reino Unido do bloco europeu em 31 de outubro, Costa, recordando que este é já o quarto acordo celebrado com governos britânicos, disse esperar que agora seja efetivamente “o fim da linha” e comentou que “seria uma tragédia, depois de todo este esforço”, que houvesse uma saída desordenada, “com as pesadíssimas consequências que isso teria para todos”.

Deixando um “apelo” ao parlamento britânico para que, desta feita, aprove o acordo de saída negociado entre os 27 e Londres, o primeiro-ministro revelou então que ontem, na reunião dos Socialistas Europeus que antecedeu o Conselho Europeu, em Bruxelas, teve oportunidade de transmitir ao líder da oposição britânica a sua posição.

“Hoje, na reunião do S&D (Socialistas e Democratas), tive oportunidade de dizer ao líder do Labour, Jeremy Corbyn, que obviamente cada um de nós tem as contingências políticas internas próprias em cada um dos nossos países, mas que há um momento onde todos temos de ser capazes de pôr aquilo que é o interesse da Europa e o interesse geral acima das conveniências partidárias de cada um”, disse.