O Ministério do Interior de Espanha respondeu ao Fórum Cívico Ibérico: a fronteira vai continuar fechada

Os governos ibéricos continuam sem atender aos pedidos dos residentes raianos

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

As organizações integrantes do Fórum Cívico Ibérico enviaram uma petição formal ao Ministério do Interior espanhol solicitando que as zonas de fronteira sejam consideradas unidades territoriais únicas, devido aos efeitos existentes das restrições derivadas da pandemia, entendendo que a realidade social da raia requer a tomada de medidas específicas e na qual seja compatível o controlo de pandemia e a actividade dos cidadãos.

Esta petição vai no mesmo sentido da realizada pelo movimento de cidadãos que a Frente Cívica de Vilar Formoso – Fuente de Oñoro fez ao governo português. Esta carta nunca obteve uma resposta.

O encerramento da fronteira decretado pelos governos, salvo em casos pontuais, como é o caso dos trabalhadores transfronteiriços, e a escassez das passagens que se mantém abertas, com os devidos controlos, faz com que muitos trabalhadores tenham que realizar maiores deslocações para chegarem aos seus locais de trabalho. A explicação desta situação vem do facto da pouca disponibilidade de activos para controlar estas passagens, o que levou a que ambos os Ministérios optassem por um enceramento mais fechado.

A resposta do ministério do interior espanhol ao Fórum Cívico Ibérico não entrou na necessidade de abrir fronteiras para garantir o dia-a-dia das populações raianas e simplesmente remete para a Orden 68/2021, que ordena a restituição dos controlos fronteiriços.

Tudo indica que as fronteiras vão seguir fechadas e serão controladas até, pelo menos, o dia 1 de Março. O movimento civil ibérico prometeu seguir batalhando por esta e outras reivindicações que considerem necessárias e justas.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário