Os primeiros passos para a constituição de uma Associação Comercial entre Vilar Formoso e Fuentes de Oñoro

A adjudicação da área de serviço de Fontes de Oñoro ficou deserta

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Foram dados os primeiros passos para a constituição de uma Associação Comercial esta sexta-feira numa reunião organizada pela Junta de Freguesia de Vilar Formoso dirigida aos empresários locais.

Acompanhe a reunião aqui em Podcast, a qualquer hora:

https://soundcloud.com/r-dio-fronteira/reuniao-para-a-criacao-da-associacao-comercial-entre-vilar-formoso-e-fuentes-de-onoro?fbclid=IwAR09YA4HdsXGeJzzWld92RAiHr3lZbLMB8aa63LeBmhDGXiu6sgoTzp6SPs

Cerca de 40 empresários de Vilar Formoso estiveram presentes no Auditório do Pavilhão Multiusos. O desafio foi lançado para se constituir um primeiro grupo de trabalho do lado português: quatro empresários locais, Fernando Marques, José Manuel Araújo, Ana Fantasia e Ricardo Rico, mostraram a sua disponibilidade para começar a dar o seu contributo na formalização desta associação com os espanhóis de Fuentes de Oñoro, que já iniciaram as primeiras formalidades em Espanha.

O Presidente da Junta de Vilar Formoso sensibilizou os empresários para se juntarem aos empresários de Fuentes de Oñoro, para serem uma voz ativa e representativa juntos da autarquia, entidades e instituições governamentais, até porque como acrescentou Manuel Gomes, os membros do Governo que já reuniram em Vilar Formoso, por diversas vezes, para elaborar os projetos da revitalização da zona de fronteira, tendo perguntado pelos representantes dos agentes económicos locais e pelos seus anseios.

Dulcineia Catarina Moura da Associação de Desenvolvimento Regional Territórios do Côa, que tem estado destacada para trabalhar no âmbito do projeto de Eurocidade, recordou também que só a união entre empresários de Vilar Formoso e Fuentes de Oñoro, poderá dar frutos para a dinamização económica da zona da fronteira. A Eurocidade, um Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial, está em fase de formalização e pretende também que os privados sejam uma voz parceira e reivindicativa.

Do lado espanhol, a Vice-Presidente do Ayuntamiento de Fuentes de Oñoro, a Teniente de Alcalde, Susana Pérez e o empresário Juan Antonio Blanco Bravo, dono do Supermercado Raimundo, em representação da Associação de Empresários locais, realçaram também as mais-valias, de ser constituída uma Associação Comercial transfronteiriça, para não deixar morrer o tecido económico existente e ser uma voz ouvida junto dos órgãos institucionais. A ideia desta união de empresários surgiu do lado de Fuentes de Oñoro, que já teve outrora uma Associação com Ciudad Rodrigo, mas agora vê com mais retornos, esta união na fronteira com Vilar Formoso.

Segundo foi confirmado à Rádio Fronteira pela Junta de Freguesia, Vilar Formoso terá nesta altura cerca de 130 empresários e segundo nos foi também adiantado pelo Ayuntamiento de Fuentes de Oñoro, a vila espanhola fronteiriça terá cerca de 40 empresários, ou seja, a futura Associação Comercial poderá ter um universo de associados a rodar os 170 empresários, no total.

Manuel Gomes reforçou que Vilar Formoso e Fuentes de Oñoro devem aproveitar os novos financiamentos da Europa para se afirmar e crescer economicamente, através da Eurocidade Porta da Europa, que para além destas duas localidades integra ainda Almeida e Ciudad Rodrigo.

A futura sede da Associação Comercial irá ficar em Fuentes de Oñoro. Espera-se que em Fevereiro ou em Março de 2021, seja já uma realidade.

A adjudicação da área de serviço de Fontes de Oñoro ficou deserta.

A 16 de Setembro foi concluído o prazo para a apresentação de propostas para a construção e adjudicação da área de serviço da auto-estrada A-62, nos dois sentidos, e que levará a criação de cem postos de trabalho, isto segundo o vereador de Fontes de Oñoro, Isidoro Alanís.

Nesse sentido, o autarca explicou que mantém contactos para conseguir investidores que apostem na área de serviço, embora saiba que este é “um momento difícil para fazer um investimento desta magnitude”. O investimento necessário é de sete milhões de euros.

Outro dos investimentos necessários para esta área é a criação de um centro logístico em Fontes de Oñoro. Para o seu desenvolvimento serão alocados 100.000 metros quadrados de terreno na área da última ligação da rodovia, com três sectores com diferentes categorias industriais e de serviços, com a aprovação da Junta de Castela e Leão por um ano.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário