Portugal, um país de emigrantes

Mais portugueses pediram a nacionalidade espanhola em 2019

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
The statue of the Palas Atenea sculpture is seen on the roof of the Circulo de Bellas Artes building, as part of the Madrid skyline is seen in the background in Madrid Tuesday Sept. 23, 2008. (AP Photo/Paul White)© RADIAL PRESS

Partir a descoberta é algo que os portugueses sempre fizeram. Se há 500 anos usavam barcos, actualmente os meios de transporte utilizados são o avião ou o barco mas a vontade é sempre a mesma, uma vida melhor! Este traço fez com que os portugueses se espalhassem um pouco por todo o mundo. No último ano, 80.000 cidadãos saíram de terras nacionais.

O último relatório do Observatório da Emigração, que trata os dados do fluxo migratório português em 2019, indica que 596 portugueses adquiriram a nacionalidade espanhola. Este é um aumento de 58,1% em comparação aos 377 que tinham conseguido alcançar este cartão de identidade no ano de 2018. Em 2017 esse valor foi de 135. Estes números, desde 2010, têm variado entre os 400 e os 600.

Mesmo com os números de residentes de origem portuguesa em Espanha a diminuírem, o país vizinho é o oitavo no mundo que mais portugueses recebe. Quando falamos dos países que mais emigrantes têm fora do país, Portugal é o 27.º do mundo e o 8° da Europa. São 2,2 milhões de portugueses (e seus descendentes) que residem fora de território luso.

Para os investigadores do ISCTE, que analisam estes dados, defendem que o aumento destes pedidos acontecem devido aos descendentes de emigrantes portugueses na Venezuela que voltaram a Portugal devido a crise social e económica que é vívida neste país da América latina há já vários anos. Sem grandes ligações a terra dos seus pais, muitas destas pessoas foram para Espanha graças a língua e várias tradições comuns.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário