Espanhol Português

Especialistas do projecto Aqua&Ambi lançaram uma série de publicações que procuram promover o desenvolvimento de uma aquacultura compatível com outras actividades económicas em espaços naturais protegidos. Trata-se, como assinala este projecto, de documentos que nada mais são do que ferramentas que poderão contribuir para a gestão sustentável das zonas húmidas do litoral Sudoeste ibérico e transfronteiriço entre Espanha e Portugal.

Na Aqua&Ambi participação o Centro Tecnológico de Aquacultura da Andaluzia (CTAQUA), a Agência de Gestão Agrária e Pesqueira da Andaluzia (AGAPA), o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Os dois documentos redigidos têm como título a “Compatibilidade da aquacultura com outras actividades económicas em espaços naturais protegidos. Caso da Baía de Cádiz e da Ria Formosa”, segundo o portal Mispeces.com.

Para tal, como assinala Luisa Iglesia, responsável pelo projecto CTAQUA, teve-se como base o estudo de desenvolvimento da aquacultura marítima na zona e a normativa que regula estes espaços. Ainda sublinhou que “tivemos que empregar uma metodologia baseada no SIG, tendo-se tomado em consideração a normativa relativa a proteção das figuras ambientais, estabelecendo-se diversos parâmetros que determinam: o nível de interesse para o desenvolvimento da aquacultura marinha em cada área; em segundo lugar, as actividades que se desenvolvem ou poderão se desenvolver nestas zonas (a marisqueira, de extração de sal,o turismo, a extração de flora, a educação ambi e a investigação); e por último, o nível de convergência destas actividades com a aquacultura, pondo em relevo uma série de áreas com um maior potencial de desenvolvimento económico tanto para a Baía de Cádiz como para a Ria Formosa”.

O projecto Aqua&Ambi, que actualmente encontra-se na sua segunda fase, tem como objectivo fortalecer os mecanismos transfronteiriços para a manutenção e restauração da biodiversidade e os serviços do ecossistema da  red Natura 2000 Alentejo-Algarve-Andaluzia. Esta iniciativa promove o uso de metodologias e sistemas de produção adequados para as zonas húmidas protegidas pela área geográfica objectiva deste projecto, como por exemplo a aquacultura e o marisqueiro.