Parque Natural do Tejo Internacional, onde o Tejo entra em Portugal

Numa das zonas menos encontradas podem ser encontradas várias espécies endémicas da Península Ibérica

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O rio Tejo, Tajo em Espanha, é um dos vários pontos de encontro dos dois países e o Parque Natural do Tejo Internacional é uma das zonas menos povoadas e frequentadas em Portugal mas merece, e muito, ser conhecida. Este parque, do lado espanhol o Parque Natural del Tajo Internacional ocupa 11 municípios, engloba partes dos concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Vila Velha de Ródão e Nisa.

Situada entre os vales do Tejo e do Erges, este parque selvagem e silencioso tem do lado lusitano 26.490,43 ha (o equivalente a 40 quilómetros) e pelos seus céus voam diversos tipos de águias, abutres e cegonhas (os seus ninhos são muito característicos nas casas no sul de Portugal). O Parque Natural do Tejo Internacional também é o local onde podem ser avistadas cegonhas-pretas, uma das espécies mais raras do país. Admirar as aves são um dos principais atractivos deste parque onde pássaros de grandes dimensões mas também os mais graciosos, como é o caso da pega-azul e das cotovias, compartilham os céus azuis.

A flora, onde sobressai a urze e o rosmaninho, e a fauna aqui encontrada são únicas nesta importante área natural portuguesa.

Já nas suas águas, que são a casa de várias espécies de peixes endémicos da Península Ibérica, as temperaturas podem convidar a um banho nos planos de água ou a um passeio de barco onde para além de desfrutar da vista magnífica poderá tirar fotos novas para publicar nas redes sociais. A Ribeira das Varetas e a sua queda de água é um dos locais a colocar na sua lista de locais a visitar.

Nas margens do Tejo podem ser encontrados bosques de sobreiros, azinheiras e salgueiros. É no meio desta vegetação que é possível encontrar a lontra-europeia, gatos-bravos e veados de pêlo avermelhado. Os javalis e as raposas podem surpreender, se tiver sorte, os visitantes que visitem o serpenteante Tejo.

Neste parque, onde o Tejo marca a fronteira entre Portugal e Espanha, não encontramos só belezas naturais já que o património histórico e cultural também abundante e as Ruínas dos Alares, um dos locais com o cenário mais dramático, são ideais para um piquenique. No Centro Cultural Raiano existem exposições de olaria e apicultura permanentes.

Vestígios do Neolítico, sepulturas romanas e pequenas aldeias rústicas com as suas casas brancas e despovoadas são alguns dos locais que pode visitar numa visita ao lado português do Parque Natural do Tejo Internacional.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario