Con el patrocinio de:

Repsol assinala o início das obras no Complexo Industrial de Sines, estratégico para Espanha e Portugal

Primeiro-ministro e embaixadora espanhola em Portugal estiveram presentes na cerimónia

Comparte el artículo:

A Repsol assinalou o arranque das obras de expansão do Complexo Industrial de Sines. O projeto de expansão está avaliado em 657 milhões de euros. É o maior investimento feito pela Repsol em Portugal na última década. O investimento é considerado de interesse nacional. Em relação à ocupação, para além dos 143 hectares que a multienergética já ocupa, vão ser somados cerca de 38 hectares para esta expansão.

Esta vai criar mais de 1.000 postos de trabalho. Este evento de apresentação contou com a presença tanto do primeiro-ministro António Costa como do diretor do projeto Alba – projeto de expansão do Complexo Industrial de Sines, Juan Lorenzo Boix. No discurso que fez, Costa afirmou que Portugal nos próximos anos vai bater recordes de investimento muito graças a zona industrial e logística de Sines.

O primeiro-ministro defende que Sines deverá ser «um dos maiores polos de produção de energia renovável». Salvador Ruiz, Diretor-geral da Repsol Polímeros, destacou a importância deste investimento e afirma que «a expansão do Complexo Industrial ilustra o compromisso da Repsol com Sines e em liderar a transição energética, promovendo a economia circular». Os ministros das Infraestruturas e da Economia e do Mar, que também estiveram presentes neste evento, visitaram o Porto de Sines (um dos maiores de águas profundas na Europa) para acompanharem de perto os vários projetos que estão a ser desenvolvidos nestas instalações.

Projeto Alba vai fazer crescer fábrica da Repsol em Sines

O projeto Alba vai permitir fornecer polímeros que podem ser usados tanto para componentes de automóveis, dispositivos médicos e produtos alimentares. Estes vão ser criados em duas novas fábricas, que vão ser construídas. Uma vai produzir polietileno linear e outra polipropileno. Estes produtos serão 100% recicláveis. O parecer positivo da declaração ambiental permitiu avançar para a colocação da “primeira pedra” deste projeto de expansão que vai ajudar tanto na descarbonização da empresa como a economia portuguesa.

Com este investimento em Portugal, cada vez mais a Repsol olha para o mercado luso como prioritário e Sines como uma “porta” para aumentar as suas exportações e diminuir as importações. Com este investimento, a Repsol Polímeros espera aumentar a sua produção para até 850.000 toneladas por ano. 220.000 toneladas vão ser exportadas para Espanha (isto através de comboio por uma ligação para Tarragona) e 100.000 toneladas deverão ser utilizadas em Portugal.

As duas novas fábricas da Repsol deverão começar a laborar em junho de 2025.

Noticias Relacionadas

Leonor en Portugal

“Me siento muy honrada después de recibir la Gran Cruz de la Orden de Cristo y de manos de Su Excelencia el Presidente de la