Santiago do Cacém cria mural em homenagem aos Caminhos de Santiago

Cidade é passagem de uma das etapas portuguesas dos milenares caminhos

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Santiago do Cacém, cidade do distrito de Setúbal geminada com a galega Santiago de Compostela, está a declarar todo o seu carinho aos conhecidos Caminhos de Santiago, que têm um tramo que passa pela região, com a pintura. Esta é uma obra da autoria de uma artista local. O mural de 100 metros de comprimento servirá para desejar «boa sorte» aos caminhantes que vão iniciar este percurso em pleno litoral alentejano.

Este trabalho deverá estar terminado na primeira quinzena de Setembro e está localizado no local onde começa mais um percurso português dos Caminhos de Santiago. Nos vários painéis que fazem parte deste mural, que foi interrompido devido a pandemia, é possível ver as setas, vieiras, a cruz da Ordem de Santiago e a silhueta dos peregrinos que vão a caminho de Santiago de Compostela.

Os Caminhos de Santiago são uma rota milenar seguida por milhões de peregrinos desde o início do século IX, momento em que foi descoberto o sepulcro do Apóstolo Santiago – Maior, e também tem uma parte que passa por Portugal. Nos últimos meses, as apostas no trajecto luso têm sido imensas devido a sua importância religiosa, turística e económica. O próprio Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quer cumprir durante as férias parte do percurso em direcção a Galiza.

Caminho de Santiago em Santiago do Cacém

A sétima etapa do Caminho de Santiago português passa pela cidade de Santiago do Cacém, que foi doada à Ordem de Santiago por D. Sancho I, em 1186, e em 1310 foi doada a uma aia da rainha D. Isabel de Aragão. A princesa bizantina Vataça Lascaris foi a responsável pela encomenda do Painel de Santiago Matamouros e da relíquia do Santo Lenho, que podem ser encontrados na Igreja Matriz de Santiago do Cacém. Nesta região também é possível visitar as ruínas do povoado romano de Miróbriga.

Antes do início deste percurso, para ganhar energia, coma um bolo de Santiago, que tem como base uma sobremesa conventual da Galiza que leva ovos e cacau. Este percurso, que tem um total de 24 kms, é feito em quase total isolamento no meio de montes e vales por onde também passam javalis, ginetas e os majestosos linces ibéricos.

Noticias Relacionadas

Verde na poesia portuguesa

“Cada rua é um canal de Veneza de tédios                                                                                 E que misterioso o fundo unânime das ruas                                                                                 Das ruas a cair da noite,

Deja un comentario