Lisboa recebe encontro das maiores lojas maçónicas mundiais

Encontro da CLIPSAS é organizado pela Grande Loja Simbólica de Portugal

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Grande Loja Simbólica de Portugal é a organizadora da 60.ª assembleia geral do CLIPSAS – Centro de Ligação e de Informação das Potências Maçónicas Signatárias do Apelo de Estrasburgo. Este centro, atualmente presidido pelo colombiano Iván Herrera Michel, foi fundado em 1961 e agrega maçons homens e mulheres de todo o mundo. A CLIPSAS é membro do Conselho Económico e Social das Nações Unidas.

Esta será a segunda vez que a reunião, a maior da maçonaria liberal, vai acontecer em Portugal. Este evento, que vai acontecer até domingo, vai reunir na capital portuguesa uma centena de obediências maçónicas. A iniciativa, que também vai contar com um colóquio e a assembleia geral, terá 300 delegados estrangeiros. O Gran Orient de Catalunya, Grande Oriente de Mexico ou a Grande Loja Unida de Sta Catarina vão ser algumas das lojas que vão estar presentes neste encontro. Durante estes dias serão abordados temas maçónicos e sociais. Muitas destas palestras vão acontecer através de videoconferências.

A Grande Loja Simbólica de Portugal, a terceira maior, está presente em todo o país e faz maioritariamente trabalho social. Durante a pandemia, vários membros deste tipo de organizações saíram para as ruas para distribuir máscaras e comida pelas comunidades mais débeis. O movimento maçónico em Portugal nos últimos meses esteve envolto em polémica devido a obrigatoriedade dos membros destas organizações se assumirem como maçons caso estejam em cargos públicos. A maçonaria espanhola demonstrou-se solidária com os seus congéneres portugueses e defendem que esta obrigatoriedade é um retrocesso na liberdade de associação.

Noticias Relacionadas

A Via dos sentimentos

A Via Romana XVII foi uma das principais ligações entre Bracara Augusta (Braga) e Asturica Augusta (Astorga), pertencia ao Itinerário Antonino e a sua criação