Espanhol Português

A política europeia de coesão protagonizou um fórum sobre Histórias Ibéricas de coesão: 30 anos de programas Interreg na Europa,organizado em Madrid pelas agências EFE e LUSA,com o apoio da Direcção-Geral da Política Regional (DGRegio) da Comissão Europeia. A Interreg é um dos instrumentos mais importantes da União Europeia (UE) para reduzir as disparidades entre os seus países e regiões.

O presidente da EFE,Fernando Garea, ficou “feliz” com o “projeto de Histórias Ibéricas”, que completa um ano. Garea considerou que o “acordo de colaboração” é “pioneiro, como se fôssemos uma agência só” O presidente da Lusa,Nicolau Santos, pediu desculpas por sua ausência por ter uma aparição parlamentar.

O vice-chefe da unidade de Portugal e Espanha de DGRegio, Vicente Rodríguez, disse que “80% do investimento público português no período atual faz parte da política europeia de coesão”. A directora-geral dos Fundos Europeus do Ministério (espanhol) das Finanças, Mercedes Caballero, sublinhou o sucesso da polícia de coesão e lembrou que é “da Raia”, pelo que sabe como esta política mudou essa área.

No âmbito da cooperação, EFE e Lusa publicaram – no ano passado – uma série de “crônicas e reportagens multimídia sobre histórias ibéricas para retratar e trazer para a opinião pública espanhola e portuguesa – um caldeirão de projetos espalhados de um lado e outro dos 1.234 quilômetros de A Raia”, de acordo com EFE.

Projetos que vão desde o combate a incêndios até o desenvolvimento de uma rede de paisagens rurais na fronteira do Douro, até o apoio ao empreendedorismo e à inovação de microempresas agroalimentares ou iniciativas inovadoras para promover envelhecimento ativo. Entre eles, o projeto Centro Ibérico para la Investigación y Lucha contra los Incendios Forestales (CILIFO), consórcio de 15 beneficiários – liderado pela Junta de Andaluzia – e financiado ao 75% pelo Programa de Cooperação Transfronteiriça Interreg VA Espanha – Portugal – POCTEP (2014-2020).