Ciganos em Portugal, a comunidade desconhecida

A nova geração abraça as suas raízes mas almeja novas oportunidades

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Originários da Índia, a primeira referência a ciganos em Portugal data do século XV. Vindos de Espanha, esta comunidade desde a Idade Média tem enfrentado vários preconceitos e vivem numa situação de exclusão e probreza que, em vários casos, é combatida nos últimos anos através de vários apoios estatais. Para ajudar a comunidade cigana, que está no país há mais de 500 anos e é considerada a maior minoria no continente europeu, o governo português desenvolve as suas actividades de integração junto do Alto Comissariado para as Migrações. Vários municípios têm programas próprios baseados em mediadores ciganos que fazem a ligação entre a comunidade e as autoridades autárquicas.

Mesmo com vários apoios, algo que é reconhecido pelo Comité para a Proteção das Minorias do Conselho da Europa, ainda existe muito a fazer já que esta comunidade não tem as mesmas oportunidades que o resto da sociedade e o abandono escolar junto dos ciganos continua a ser muito elevado. As quebras no comércio ambulante estão a fazer com que cada vez mais crianças queiram continuar os seus estudos e desde 2016 o número de estudantes ciganos que no ensino superior pedem bolsa de estudo tem vindo a aumentar e com um aproveitamento de 88%.

Mesmo assim, casos de sucesso, como o do futebolista Ricardo Quaresma (que jogou pelo Barcelona), ainda são muito raros e quando se fala em ciganos o imaginário popular associa-os automaticamente a venda em feiras e a sapos de louça, numa imagem de preconceito ainda existente. Esta «ciganofobia» ganhou uma nova força com as ascensão do Chega e de uma extrema-direita que tem ganho mais força graças a crise que a Covid-19 trouxe.

Portugueses de pleno direito desde 1822, a comunidade cigana, especialmente aquela que está sedeada no Alentejo, continua a «acarinhar» o nomadismo e normas próprias de uma cultura milenar e que mesmo com medidas ainda controversas, como os casamentos arranjados de crianças, está a mudar para se adaptar ao século XXI e a uma lei que não só os incrimina mas também os protege com habitações dignas e cuidados de saúde.

O exemplo espanhol

O exemplo da Fundación Secretariado Gitano, que em Espanha conseguiu milhares de empregos para ciganos, está a inspirar Portugal e outros países europeus para incluir esta comunidade na vida nacional.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários