«Portugal e os portugueses estão cada vez mais na moda em Espanha»

Os portugueses em Espanha voltaram-se a reunir num encontro que tem como objetivo destacar o talento

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O Talento Português em Espanha voltou a estar em evidência no encontro organizado pelo Fórum dos Portugueses. A troca de experiências é o grande objetivo deste conjunto de sessões. Todos os participantes focaram que a comunidade é muito bem vista pelos espanhóis e que a proximidade com Portugal permite visitar a família com regularidade.

Dos 140.000 portugueses que vivem e trabalham em Espanha, a região de Sevilha acolhe uma comunidade que oscila entre 10 e os 15 mil. O consulado que Portugal tem na cidade indica como principal trabalho a promoção da língua e da cultura, para além do país como um destino turístico excecional. Apoiar as empresas que olham para o sul de Espanha e para Portugal como um mercado integrado também preenche a agenda da equipa consular.

João Queirós, Cônsul-Geral de Portugal em Sevilha, lembrou a proximidade única que a Extremadura e a Andaluzia têm com o país nos diferentes níveis. Se o português é a segunda língua estrangeira ensinada nas escolas públicas, a economia também exerce uma forte atração. Em 2019, as trocas comerciais a nível regional com Portugal registaram  4.5 mil milhões de euros. A nível nacional, até ao mês de Outubro, as exportações luso-espanholas cresceram 10.9%.

A língua como forma de promoção em Espanha 

«A nossa língua tem cada vez mais procura e interesse pelos espanhóis», disse o cônsul-geral em Sevilha. A literatura realiza uma grande promoção de Portugal em Espanha. Saramago e Pessoa já não são os únicos autores portugueses que podem ser encontrados nas livrarias espanholas. A correspondente da RTP, Daniela Santiago, lembrou que existe uma grande vontade de visitar Portugal e de conhecer mais sobre a sua cultura. «Portugal e os portugueses estão na moda em Espanha». Se antes o país luso era conhecido devido ao bacalhau e alguns fatos históricos, agora é visto de outra forma pelos espanhóis.

A jornalista, que recentemente esteve em La Palma, referiu a necessidade do contacto permanente. Relações de proximidade não só entre os portugueses e as instituições mas também com os espanhóis são sempre benéficas. Paulo Soares, diretor na Campofrio a viver no país há 10 anos, defendeu que todas as mudanças são complicadas mas o que importa é ser feliz. Para o executivo, «nós portugueses não ficamos nada a dever aos executivos estrangeiros. Os quadros que temos fora são muito bons».

A Cimeira de Trujillo e as conexões ferroviárias

O embaixador João Mira-Gomes defendeu que mesmo com um orçamento baixo, «o Instituto Camões tem levado a cabo uma promoção externa intensa». Sobre a Cimeira Ibérica, que se vai realizar em Trujillo, o embaixador espera que se assine o novo Tratado de Amizade e Cooperação com Espanha e que sejam anunciados os pontos em comum onde os dois países vão investir os fundos do PRR. «As ligações ferroviárias Lisboa-Madrid não são uma necessidade mas sim um chavão. Queremos ter ligações ferroviárias com Espanha e não só com Madrid», disse. Mira-Gomes acredita que o plano ferroviário português e a sua ligação à alta velocidade espanhola deve acontecer através de Vigo e após a construção da conexão de TGV entre Lisboa e o Porto. «Há muito para além de Lisboa-Madrid», complementa. O embaixador avançou com a data de 2030 como fulcral para esta ligação, isto devido à candidatura ibérica para a receção do Mundial de Futebol.

Noticias Relacionadas