Encontro Luso-Galaico traz de volta as cantigas de trovador

Projecto aposta na "importância do dizer e da canção” sem esquecer a contemporaneidade

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O projecto Encontro Luso-Galaico pretende reforçar e dar uma nova atenção à herança cultural Galaico-Portuguesa. O Galego-Português era a língua falada na faixa ocidental da Península Ibérica até meados do XIV. Este novo projecto musical foi, segundo os dinamizadores, produzido para resgatar a “importância do dizer e da canção” tradicional mas sem esquecer a contemporaneidade e a modernidade associada ao século XXI. A cultura dos trovadores da Idade Média volta com uma nova musicalidade.

Esta herança partilhada chega ao público através da música e da língua. As canções, tanto sejam de amigo ou de maldizer, são cantadas pelas populações de ambos os lados da Raya há vários séculos e agora ganham um novo fôlego através do financiamento do FEDER e de outros programas, como é o caso do Norte 2020.

Este Encontro Luso-Galaico ficou materializado num disco que apresenta uma antologia sentimental repleta de histórias, tragédias e vaidades que fazem parte do património do Minho e da Galiza. Vozes portuguesas (com coros minhotos e alguns toques de fado) e galegas cantaram os mais de 100 poemas que foram escritos entre Junho e Agosto em oficinas promovidas no Alto Minho e em Braga. Destas foram escolhidas 11 canções tradicionais para serem «recriadas e musicadas». Na nota difundida aos meios sobre este projecto é explicado que esta é «Uma colectânea de histórias, tragédias e vaidades que reportam a um tempo e configuram um mapa nas suas relações com um território e a sua toponímia».

Este disco pode ser adquirido de forma gratuita no site: www.encontrolusogalaico.pt

Noticias Relacionadas