O português Nuno Coelho é o novo maestro da Orquestra Sinfónica das Astúrias

Jovem maestro já trabalhou com a Orquestra Sinfónica de Barcelona e a da Galiza

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Orquestra Sinfónica das Astúrias (OSPA) será dirigida pelo maestro português Nuno Coelho. Esta escolha do Conselho Diretivo aconteceu por unanimidade. Coelho vai ocupar o lugar que Rossen Milanov deixou vago em 2019. Esta Orquestra Sinfónica do norte de Espanha é composta por oito dezenas de músicos, provenientes da Europa e da América latina, e já atuou por várias vezes em Portugal.

Para escolher o novo maestro, a orquestra asturiana recebeu 30 candidaturas que passaram por um processo de seleção em três fases. Na última fase, os três candidatos mais bem classificados tiveram a oportunidade de demonstrar as suas capacidades de comunicação e liderança. O músico português, nascido na cidade do Porto em 1989, estudou direção de orquestra em Zurique e recebeu o 1.º Prémio no Concurso de Direção do Prémio Jovens Músicos da Antena 2. Nuno Coelho foi bolseiro da Fundação Gulbenkian e foi maestro assistente da Nederlands Philharmonisch Orkest. Coelho foi nomeado maestro convidado da Orquestra Gulbenkian de Lisboa.

O português já dirigiu «La Traviata», de Verdi, e «O Diário de Anne Frank», de Grigory Frid. Desde a temporada 2018-2019 que colabora com a OSPA e já participou em concertos, óperas e galas. Para além do trabalho com a Orquestra Sinfónica das Astúrias, em Espanha também apresentou-se com as orquestras de Barcelona, da Galiza e da Rádio e Televisão Espanhola. O repertório do maestro abrange os períodos barroco, clássico ou contemporâneo.

Coelho colabora com solistas e cantores destacados, como é o caso de: Nikolai Lugansky, Jan Lisiecki e Pablo Ferrández.

Noticias Relacionadas