Situação de seca em Espanha pode reduzir os caudais dos rios em Portugal

Comissão para a Aplicação e o Desenvolvimento da Convenção de Albufeira prepara reunião para discutir atual situação de seca

Comparte el artículo:

A seca continua a não dar tréguas na Península Ibérica e o passado mês de maio foi o mais quente e com menos precipitação desde 1931. Atualmente, a fraca precipitação atmosférica em Espanha está a levar a uma falta de água nas albufeiras e nos rios internacionais que chegam a Portugal. Depois do Guadiana, agora chegou a vez da bacia do Douro entrar em regime de exceção. Este regime isenta a obrigatoriedade de o país vizinho enviar para Portugal os valores estabelecidos pela Convenção de Albufeira. O Tejo também neste mês vai ter uma gestão de crise.

A escassez de água e a diminuição dos caudais dos rios vai ser discutida entre os governos de Portugal e de Espanha. O vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Pimenta Machado, já avisou que «temos de nos habituar a viver com menos água e a geri-la de um modo mais racional». Estas declarações foram prestadas em Beja num debate onde se refletiu sobre as perdas de água.

O ministro do ambiente português, Duarte Cordeira, em declarações anteriores já tinha reforçado que devido às atuais condições atmosféricas o verão será difícil. Esta reunião vai acontecer com os membros da Comissão para a Aplicação e o Desenvolvimento da Convenção de Albufeira e vai recair sobre o acesso que os portugueses tem aos rios internacionais do Lima, Douro, Tejo e Guadiana. No encontro deverá falar-se sobre o regime dos caudais a que Portugal terá acesso em situações de crise.

Se a seca continuar como está, o próximo ano hidrológico poderá ser complicado. Isto porque 70% da água que o país consome vem de Espanha.

Noticias Relacionadas

Iter ab Emerita Salmanticam

En honor a la verdad, la calzada que construyeron los romanos para vincular Mérida (Emerita Augusta) con el norte peninsular -muy probablemente sobre un camino