Especialistas levantam a possibilidade de energia nuclear ibérica no futuro como forma de baixar custos

A possibilidade levantada seria a de usar as centrais que Espanha já tem, mas com financiamento português, para produzir eletricidade, algo que os movimentos anti-nucleares ibéricos estão abertamente contra

Comparte el artículo:

Num período de mudança política no país muitos temas são enviados para a agenda política do governo chefiado por Luís Montenegro. O mais recente a aparecer na agenda mediática é a energia nuclear. No lado de Portugal este nunca foi um tema muito querido e muito se deve não só ao custo da construção de uma central nuclear, mesmo que seja para a produção da energia elétrica, mas também ao perigo de acidente. Quem nunca ouviu falar de Chernobyl?

A central nuclear mais próxima de Portugal é a de Almaraz, no lado espanhol, e muitos movimentos contra o nuclear já pediram o fecho de centrais como esta devido a riscos de acidente que colocariam em causa os dois lados da fronteira. Mesmo estando perto da idade limite, as centrais nucleares continuam ativas e a produzir lixo nuclear, outro problema que tem que ser resolvido. No caso da central de Almaraz, um possível acidente poderia contaminar a água do Tejo, o maior rio ibérico. Alguns movimentos, especialmente em França, têm lutado para que a energia nuclear seja considerada amiga do ambiente. Para além disto os defensores da mesma também apontam que é mais barata que a produção de eletricidade através do carvão, por exemplo.

O renovável tem cada vez mais peso na produção da energia em Portugal, no último ano o país conseguiu viver uma semana inteira e exportar energia para Espanha usando apenas meios renováveis, mas vozes levantam a possibilidade de uma cooperação ibérica na produção de energia através de centrais nucleares. Estas estariam no lado espanhol mas teriam financiamento português. A eletricidade produzida fluiria abertamente pela rede ibérica. Esta ideia foi apresentada por um engenheiro nuclear português ao jornal Económico, dando o exemplo da Grécia que partilha uma central nuclear com a Bulgária e que Portugal e Espanha deveriam fazer o mesmo.

Noticias Relacionadas

A hora da Liberdade

Agora que estamos a poucas horas (mais precisamente sete) do dia em que comemoramos os cinquenta anos da Revolução dos Cravos está na altura de