Con el patrocinio de:

Sector de bebidas contra aumento dos impostos inscrito no Orçamento de Estado para 2022

Associações avançam a possibilidade de várias produtoras mudarem-se para Espanha devido aos impostos

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O Orçamento de Estado português para 2022 já foi apresentado na Assembleia da República e um dos aspectos que se destacam deste documento é o aumento dos impostos sobre o álcool e o tabaco em 1%. Esta medida é vista pela Associação de Cervejeiros de Portugal como uma «enorme desilusão».

Devido ao aumento dos impostos especiais ao consumo em Portugal, a Associação Nacional das Empresas de Bebidas Espirituosas alertou na possibilidade de várias empresas da área estarem a pensar mudar a sua produção em Espanha, país onde a carga fiscal não é tão pesada. Várias empresas, especialmente aquelas que se localizam junto da fronteira, começam a pensar na possibilidade de mudar o seu local de trabalho para o lado espanhol.

Graças a pandemia de Covid-19, que levou a que os espaços de diversão apenas abrissem em Outubro, o sector das bebidas espirituosas só daqui a cinco vão recuperar das perdas obtidas em 2020. Antes da pandemia este sector tinha um lucro de 837 milhões de euros, já que Portugal está em 13° lugar (no grupo dos 27) nos custos das bebidas. Em média, por ano, cada português consume 12 litros de álcool por ano.

As bebidas espirituosas, que tem na empresa Licor Beirão a sua maior exportadora, representam 11% do consumo de bebidas alcoólicas em território português.

Orçamento de Estado português para 2022

O Orçamento de Estado redigido por João Leão estima que o défice das contas públicas desça para os 3,2% e que a taxa de desemprego vai ficar em 6,5%, o valor mais baixo desde 2003. Já a dívida pública deverá atingir os 122,8% do PIB.

Noticias Relacionadas

Vizela, um lugar para recordar as origens

Portugal é um destino de viagem maravilhoso, especialmente para os brasileiros, mas por motivos diferentes, embora parecidos também para os espanhóis. Considerando que já sou