Junta de Castilla y León avança com a sua aliança com Portugal no turismo, tendo o rio Douro uma potência conjunta

Castilla e León e as regiões portuguesas do Porto e Norte e Centro unem-se com o objectivo de desenvolver a região ibérica Duero-Douro

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O vice-conselheiro para a Cultura, Raúl Fernández, e a directora-geral do Turismo, Estrella Torrecilla, tiveram uma reunião com a secretaria de estado do Turismo de Portugal, Rita Marques, onde abordaram assuntos relacionados com a promoção turística dos territórios transfronteiriços no marco da estratégia de trabalho conjunto. Um dos objectivos desta legislatura está na matéria de turismo e na aproximação a Portugal, concretamente às regiões do Porto e Norte e Centro para trabalhar na promoção de ambos os territórios na globalidade. Recentemente, foram levadas a cabo reuniões de trabalho onde se estabeleceram uma série de objectivo estratégicos com actuações conjuntas na matéria turística entre ambos os territórios, alinhados com os “Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030”, como é o caso da sustentabilidade, a aposta na mobilidade transfronteiriça, a conectividade, a coesão social e o desenvolvimento económico.

Na reunião foi reforçada a aposta que está a ser levada a cabo por ambos os governos. A aproximação entre Castilla y León e as regiões portuguesas do Porto e Norte e Centro tendo em comum uma: história, cultura, tradições, paisagens, vinhos ou gastronomia. No caso concreto do Porto e Norte, a união produz-se através de um elemento único e diferenciador que possui uma potencialidade turística única, como é o caso do rio Duero-Douro.

Produto estratégico

A Conselheira considera que é necessário aproveitar o rio Duero-Douro pois este atravessa uma grande parte destes territórios e tem sido um símbolo de riqueza, crescimento e fixação populacional ao longo dos séculos. Actualmente, o rio é associado aos vinhos mais premiados e a património da humanidade pela UNESCO. Castilla y León é a comunidade do mundo com mais bens culturais Património da Humanidade, num total de 8, que unidos aos 4 da região do Porto e Norte, supõem um produto de enorme interesse para difundir as potencialidades do território do Duero-Douro.

Desde finais de 2019, as duas administrações tem apostado na elaboração de projectos de cooperação transfronteiriça que sejam benéficos para ambos os territórios, o que lhes permitirá ir de mãos dadas a feiras nacionais e internacionais onde ambos os países serão representados como Duero-Douro. Actualmente, está já a ser trabalhado um mapa conjunto com o rio Douro como protagonista principal, em que se destacam os vinhos DO, elementos do Património Mundial e espaços naturais, entre outros.

Performances

Para promover a promoção do produto Duero-Douro, o Ministério da Cultura e Turismo considera que as acções devem basear-se num conjunto de critérios como a sustentabilidade, abordando os usos sustentáveis ​​das bacias hidrográficas (Rotas do Vinho e agricultura, entre outros), ou estudar novas potencialidades das áreas protegidas transfronteiriças (Reserva da Biosfera Transfronteiriça Meseta Ibérica). No que se refere à busca pelo desenvolvimento económico e inovação, é necessário promover nas feiras transfronteiriças.

Por outro lado, o encontro abordou um aspecto fundamental que se revelou com a crise sanitária da COVID-19. É necessário incluir a saúde na escala de valores do turismo para ser mais competitivo e esta componente da saúde, estando presente nos seus recursos e potencialidades do Duero-Douro.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário