Espanhol Português

A Repsol vai desenvolver 26 novos parques eólicos na comunidade autónoma de Aragão. Estes parques, que têm o cognome de Delta 2, serão desenvolvidos nos próximos três anos e irão servir para que a empresa prossiga o seu objectivo de atingir as zero emissões líquidas em 2050.

Este projecto está inserido em terrenos com condições sublimes tanto para a produção de energia eólica como para a solar fotovoltaica. As obras e as operações dos parques em Aragão vão estar a certo da Repsol Electricidade e Gás.

Este novo projecto eólico, que vai ficar entre as províncias de Huesca, Saragoça e Teruel, vai produzir cerca de 860 MW, o que vai fornecer electricidade a aproximadamente 1,8 milhões de pessoas, o que é mais do que a população de Aragão. A produção de uma energia mais limpa também vai reduzir as emissões de CO2 em 2,6 milhões de toneladas por ano, valores desafiantes para a maior companhia energética privada hispano-americana.

Os activos em desenvolvimento, que estão a ser levados a cabo por uma equipa especializada em energias renováveis, vão somar uma capacidade de 2.045 MW aos 2.952 MW de capacidade instalada total da empresa actualmente, o que torna a empresa espanhola num caso sério na geração de electricidade de baixas emissões na Península Ibérica.

Actualmente, a Repsol tem sete projectos renováveis em curso na Andaluzia, Aragão, Castela e Leão, Castela-Mancha, Estremadura e em Portugal. Em terras lusas, esta empresa tem uma participação no parque eólico flutuante Windfloat Atlantic, no norte do país.